… Eles têm a ânsia para se tornarem bons jogadores de capoeira, mas não se instruem no contexto histórico para poderem se transformar em propagadores. É necessário conscientizar-se de que é aprendendo os valores que eles entenderão que a capoeira é importante para toda a vida, e que ela contribui para formar e construir uma sociedade mais segura e humanitária.

Os mestres mais antigos, percebendo o interesse dos mais jovens pela capoeira, estão aumentando o número de graduações, prolongando o tempo de formatura dos mesmos, criando graduações infantis que são diferentes as dos adultos. Estas graduações indicam o grau de responsabilidade e de conhecimento.

Os capoeiristas que iniciam a prática desde a infância terão uma graduação elevada na adolescência e na juventude e, muitas vezes, a graduação deles será igual à de um capoeirista experiente.

Eles aprendem a jogar capoeira, mas não necessariamente a conviver em grupo e a respeitar os companheiros, e o fato de estarem igualados na graduação com os mais velhos e experientes não lhes dá o direito de terem os mesmos méritos dos antigos, e o respeito para com estes deve sempre existir.

A graduação exige humildade porque este é o primeiro passo para se ter reconhecimento e força no grupo. O mestre de capoeira, que almeja um futuro próspero para seus alunos e discípulos, trabalha constantemente para atingir resultados positivos em suas investidas na sociedade e, através desses resultados positivos, ele adquire segurança e confiança, ganhando respeito e credibilidade, podendo assim conscientizar toda a sociedade que o assiste, sendo um grande propagador dos valores pertinentes à capoeira.

Ele sabe que é um semeador contínuo e que só com o passar do tempo é que poderá identificar e reconhecer os resultados de seu trabalho. É necessário semear em vários terrenos para que cresçam árvores que deem frutos e, mesmo sabendo que elas pertencem à mesma espécie, elas apresentarão diversidades e darão frutos, mas nem todos os frutos serão doces.

Independentemente do grupo a que pertençam, é importante reconhecer o valor dos antigos mestres, pois há décadas eles vêm semeando a capoeira na sociedade.
E aos novos formados e professores, é prudente agradecer pela formação que receberam dos antigos mestres, os quais, de uma forma ou de outra, participaram direta ou indiretamente para eles serem o que são hoje.

A formação dos jovens deve ser dada pelos mestres de forma que favoreça a educação e a construção da personalidade dos futuros capoeiristas, visando alcançar amadurecimento não só físico, mas também moral e psicológico, levando a fortalecer e a estruturar o autocontrole de cada um.

Cabe aos mestres observar os novos rumos da capoeira, e aos professores novos realizar um trabalho que contribua para a formação dos iniciantes que estejam aderindo à modalidade, para que estes cresçam e adquiram forte exemplo de companheirismo, respeitando a ideologia e a hierarquia da capoeira.


Mestre Biro – Capoeira e Escritor

Autor dos livros, Capoeira, cultura que educa, o Carroceiro e a Irmandade

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui