Quando o aluno descobre suas habilidades, percebe que é capaz de realizar o trabalho na sociedade, respeitando os integrantes do seu grupo e os capoeiristas de outros grupos.

O mestre, nos treinos especiais, tem como propósito estimular as potencialidades de seus alunos, em grupo ou em particular, objetivando a coordenação motora para dar autoconfiança na criatividade das diversas atividades que a capoeira possui, como dança, jogo e música.

Quando o mestre de capoeira faz treinos especiais, ele os capacita para serem futuros líderes. Busca envolvê-los, para que sintam a necessidade de adquirir responsabilidade e, assim, possam ter seu próprio espaço e serem agentes multiplicadores da capoeira.

Os mestres e professores, além das aulas na academia, realizam suas oficinas em escolas, núcleos comunitários, creches, clubes, condomínios, prédios, centros de habitação e igrejas, levando a capoeira para lugares de diferentes faixas etárias e camadas sociais.

Os centros educacionais, a cada dia mais, estão aderindo à capoeira por ela trazer benefícios que auxiliam no aprendizado do aluno, na disciplina, no convívio social, na educação e, principalmente, por ser um lazer, uma diversão e uma recreação.

O capoeirista aprende a cooperar e a trabalhar em grupo, a ter respeito à hierarquia e a conviver com os companheiros, e cada vez mais, a capoeira está ganhando adeptos mais jovens.

Os mestres de capoeira vêm percebendo que muitos deles estão ganhando graduação, antes mesmo de terem ganhado tempo e experiência na arte.

A capoeira pede não apenas conhecimento e capacidade física, mas também capoeiristas que tenham adquirido experiências na vida e que sejam capazes de transformar as dificuldades em potencialidades.

O capoeirista jovem, mesmo que seja hábil, por desconhecimento da missão de ser um educador social, acaba tendo atitudes e comportamentos de um aluno, demonstrando a sua falta de educação e formação perante outros mestres na capoeira.

A capoeira precisa de mestres que consigam levar, com um simples gesto ou ação, um estímulo na mudança e na transformação da construção de valores morais e culturais.

Além disso, é importante considerar-se também a formação dos futuros professores e mestres, em relação à postura, à educação e ao comportamento perante os capoeiristas e mestres mais antigos.

Os capoeiristas estão iniciando a capoeira mais cedo, atingido uma graduação elevada ainda na adolescência e juventude. Porém, mesmo tendo uma formação na capoeira, eles não conhecem a arte, a cultura e a luta, por não se aprofundarem na história e ter o conhecimento que ela é uma arte de resistência social.


Mestre Biro – Capoeira e Escritor

Autor dos livros, Capoeira, cultura que educa, o Carroceiro e a Irmandade

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui