Muitas vezes, o mestre de capoeira se defronta com mais de um compromisso de evento de capoeira no mesmo horário, não sendo possível adiá-los e, para não criar uma situação constrangedora e mostrar falta de interesse para com os colegas capoeiristas que o convidaram, ele então envia alguns de seus alunos para representá-lo.

Essa atitude demonstra respeito ao trabalho de um companheiro e mantém o bom relacionamento entre as partes, tendo por recompensa a construção de um ambiente pacífico e harmonioso.

“O aluno que vai a um encontro representando o mestre tem a oportunidade de expor o que aprendeu e, sendo a experiência positiva, ele se sente reconhecido e mais confiante”

O mestre aplica essa prática na intenção de projetar seus alunos na sociedade da capoeira, capacitando-os a alcançar maturidade e aceitação social. E aqueles que recebem os alunos-representantes passam a ter uma visão positiva deles e do seu companheiro convidado, aumentando o vínculo de amizade e provocando mais entrosamento pessoal e profissional.

A organização pessoal dos mestres na sociedade da capoeira traz aceitação, valorização e respeito de colegas e discípulos por conseguirem administrar bem o seu trabalho e articular com sabedoria os eventos para os seus alunos.


 

Mestre Biro – Capoeira e Escritor

Autor dos livros, Capoeira, cultura que educa, o Carroceiro e a Irmandade

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui