A roda de capoeira
Encontrei o meu destino

Passei pela encruzilhada
Sou apenas miudinho

Tenho gibão e toco
berimbau
Meu jaleco é de couro

Sou corisco e sou manhoso
A malícia é minha esquiva

Capoeira me traz a energia
Para seguir nos meus caminhos

Toca o viola
Faz toada e alvorada
A kizomba tem encanto

E na areia
Fiz o meu pedido
A sereia me deu ouvidos

Fui para casa
Para preencher um vazio
Agradeço aos camaradas

Eu voltei para minha estrada
Sou dendê
Sou angoleiro

Viva o povo brasileiro
Que luta todo dia
Para vender com alegria
As mazelas desta vida


Oluandei Diá Ngola

Poeta, capoeira, angoleiro, é do candomblé. Na política é de esquerda

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui