A missão de um mestre de capoeira não é apenas dar aula de capoeira, puxar treinos, passar movimentos, ensinar a tocar instrumentos, e cantar as músicas da modalidade. É também transmitir informações para seus alunos, ensinando-os a conhecer e a valorizar a arte da capoeira, sua história e sua tradição.

Aos alunos são ensinados conhecimentos específicos, juntamente com a habilidade e a destreza para se tornarem mais eficientes naquilo que fazem. Ser mestre de capoeira é uma grande missão porque é ser responsável por formar os alunos e discípulos para que tenham atitudes, soluções, ideias e conceitos capazes de modificar hábitos e comportamentos possibilitando tornar mais eficazes naquilo que realizam.

Essa missão pode ser reconhecida em três situações básicas: no treinamento, no desenvolvimento de pessoas e na formação humana do capoeirista.

O treinamento é o tempo dedicado à modalidade na qual o capoeirista irá se desenvolver. Trata-se da aprendizagem no âmbito individual, pois é nela que a capoeirista melhora o seu físico e sua autoconfiança, para poder se desempenhar bem nas rodas.

É também nos treinos que o mestre educador tem a oportunidade de avaliar o perfil do aluno, observar e apontar suas falhas e corrigi-las, além de verificar se é esforçado, disciplinado, educado, humilde, comunicativo e companheiro.

Quanto ao desenvolvimento pessoal do capoeirista, este é observado com foco no seu relacionamento social junto aos demais colegas e na participação, e envolvimento nos treinos, rodas, viagens, apresentações, batizados e nos cursos.

É aí que o mestre começa a perceber se o aluno está qualificado ou não, se está procurando a capoeira a fim de crescer e se desenvolver; e diferencia os seus graduados e professores, avaliando não apenas o desenvolvimento no jogo, mas o envolvimento na sociedade da capoeira.

Caso o capoeirista esteja acomodado, permanecendo na “barra da saia” da academia, isto significa que ele está satisfeito e que não quer mudanças. Com o passar do tempo, ele será um rato de academia, graduará e permanecerá no mesmo local.

É no desenvolvimento das habilidades que os mestres diferenciam os seus graduados e professores, avaliando não apenas o jogo, mas o envolvimento e a responsabilidade com a sociedade da capoeira.

E, por último, a formação humana do capoeirista é o que mais causa preocupação aos mestres, pois deseja formar cidadãos de bem, pessoas que sejam, por suas atitudes e comportamento, bons exemplos de educação, e que os outros possam ver e perceber neles um exemplo digno de vida.É de grande importância que o mestre forme os alunos, passando os valores, as tradições e as responsabilidades da capoeira, para que sejam exemplos de personalidade hoje e para as futuras gerações de capoeiristas.

Enfim, ser mestre é muito mais do que um desafio. Requer aplicação, conhecimento da arte da capoeira e reconhecimento social. Ser mestre é saber como é importante ser útil e produtivo, fazer a diferença, procurando sempre melhoria contínua e bons resultados na modalidade da capoeira.


Mestre Biro – Capoeira e Escritor

Autor dos livros, Capoeira, cultura que educa, o Carroceiro e a Irmandade

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui