O aluno chega à academia com manias, que podem ou não ser aceitas. O mestre, por meio de suas ações e atitudes, educa o aluno fornecendo valores e regras, disciplinando e repassando seus conhecimentos. Esses valores têm como finalidade direcionar o aluno para que ele seja capaz de agir conforme os princípios morais do grupo, e para que consiga obter aceitação na sociedade da capoeira.

Com o decorrer do tempo, a convivência e a socialização transmitem ao aluno as qualidades pertinentes ao grupo. Os valores éticos, juntamente com todas as responsabilidades, atitudes e regras, são transmitidos pelo mestre. É ele quem ensina os fundamentos, o responsável pelo que será refletido no perfil do capoeirista.

Existe um ditado popular que diz: “Filho de peixe peixinho é”. Sendo assim, muitas atitudes do mestre o aluno tende a copiar. O convívio diário influencia as atitudes, crenças e valores que estão agregados ao grupo de capoeira, e podem atrair ou causar repulsa aos novos praticantes. Ao mestre é dada a condição de avaliar a situação que o grupo está passando, podendo interferir no seu progresso ou na sua regressão.

Ele focaliza o objetivo que o grupo quer alcançar e busca atingir essas metas para obter mais reconhecimento. O reconhecimento acontece de várias maneiras: Alguns mestres enfatizam o número de alunos; outros, a técnica, os estilos, a força, a rapidez, a agressividade, mas todos buscam a harmonia, o prazer e a descontração. A harmonia, a descontração e o prazer na capoeira são encontrados quando o grupo adquire reconhecimento e identidade própria.

As demais realizações são alcançadas quando o grupo consegue afirmar-se e ser reconhecido, e é aí que se cria o conceito de “grupismo”, no qual a bandeira vale muito mais do que os valores da capoeira.

O mestre, pela sua vivência, analisa os cenários anteriores e consegue visualizar e reconhecer os pontos positivos e negativos do grupo, buscando sempre a melhor solução para resolver os problemas encontrados.

Os problemas relacionados a conflitos na modalidade capoeira certamente existem. A opinião do mestre pode não possuir eficácia num primeiro momento, mas é importante porque a solução que ainda não está ao seu alcance será encontrada e compreendida futuramente. Por meio de sua experiência, ele percebe que as suas opiniões dependem de um tempo para ”as águas se acalmarem”.

O mestre avalia, busca racionalizar os processos e direcionar os resultados esperados e, se houver dúvidas, ele irá fazer o que é correto para si e para o grupo, tomando sempre a melhor decisão possível


Mestre Biro – Capoeira e Escritor

Autor dos livros, Capoeira, cultura que educa, o Carroceiro e a Irmandade

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui