A capoeira é um esporte que possui muitas barreiras, tanto físicas quanto emocionais. Mas, com dedicação, as dificuldades e as barreiras vão sendo vencidas. Quando se alcança uma meta sempre surgem novos objetivos. Essa cultura popular sempre impõe novos desafios.

As conquistas do capoeirista são alcançadas quando ele consegue fazer os movimentos, os golpes, as acrobacias e tocar os instrumentos da modalidade. O esforço e o empenho na realização trazem satisfação. Cada movimento possui o propósito de dar condições psicológicas e físicas e dessa forma sentir-se seguro. Assim sendo, pequena diferença quanto ao esforço e dedicação empreendidos o distingue e o qualifica perante os demais.

O desempenho individual pode ter resultado de curto ou de longo prazo. O resultado de curto prazo aparece naquele que busca incessantemente, fazendo movimentações, dando golpes, cantando músicas, tocando instrumentos, além de confeccionar os objetos pertinentes a arte: berimbau, caxixi, dobrão, cordão, baqueta, agogô de castanha e bastão de maculelê.

Muitas vezes, o capoeirista realiza movimentos, não para o seu bem-estar, mas para ser aceito por outras pessoas. Outras vezes, ele quer realizar o movimento para o qual não está preparado fisicamente e, quando algo dá errado, cai na frustração e rejeita aquilo que não conseguiu fazer com eficiência. Ele não se conforma e acaba criando certo preconceito e certa barreira psicológica.

Atualmente, o capoeirista não está querendo esperar para adquirir o reconhecimento em longo prazo porque tudo o que ele quer é o sucesso imediato. Não possui paciência de perceber que, se algo está dando errado ou demorando muito, é porque ele ainda não está preparado.

O próprio jogo de capoeira ensina a “cozinhar o galo”, expressão utilizada pelo capoeirista ao esperar o outro se cansar e assim ter mais chance de aplicar um golpe certeiro. É aí que o mestre de capoeira entra para dar suporte ao aprendiz e para não deixar que as dificuldades virem traumas.

Alcançar a qualificação de mestre significa que o capoeirista já passou por muitas dificuldades e, muitas vezes, mais dificuldades que vitórias, e conseguiu superá-las dentro de suas limitações e qualidades. Dedicar-se e ser perseverante na modalidade capoeira traz resultados em longo prazo, e o treino tem de ser administrado para que não se perca o foco, o objetivo que o capoeirista está pretendendo alcançar.

No decorrer da vida, estaremos sempre lidando com obstáculos, sejam eles de ordem familiar, física, pessoal, social, econômica, mental ou outras que nos levam, muitas vezes, a ter a sensação de derrota, além da vontade de abandonar tudo e desistir.

Entretanto, toda ação exige uma reação. Assim sendo, toda iniciativa possui barreiras, tanto na iniciação quanto na finalização. O capoeirista deve ter fé no que faz, acreditar que seja capaz de realizar aquilo que almeja e saber que a arte cultural que pratica representa a herança de uma luta de resistência do povo brasileiro, considerado escravo no processo de colonização.

Ser perseverante, aplicado e dedicado principalmente nos momentos difíceis da vida, faz a diferença e traz bons resultados.


Mestre Biro – Capoeira e Escritor

Autor dos livros, Capoeira, cultura que educa, o Carroceiro e a Irmandade

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui