Quase como um documento histórico de seu tempo, o novo clipe de Victor Cali e Gabriel Peri usa a ilustração para refletir sobre a naturalização da morte no Brasil. Feito em preto e branco e traços simples, os personagens do clipe não têm identidade: são apenas mais números para as estatísticas, são o “vai e vem de ninguém”. A animação foi co-produzida pelos desenhistas e animadores Stefany Hibrain e Ali Bark, com storytelling da artista visual Saritha Saths.

música, com composição assinada pela dupla, se debruça sobre a dualidade da dor e do desejo. Submersos nessa esfera carnal, a única cor viva que pulsa no clipe é o vermelho do sangue. As ilustrações trazem à tona as críticas ao descaso do governo, a violência policial e a política de morte vigente no Brasil. O presidente Jair Bolsonaro é cartunizado na obra em seu gesto de armas com as mãos.

Leia mais : https://almapreta.com/sessao/cultura/clipe-de-musicos-negros-critica-banalizacao-da-morte-na-pandemia

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui